Principais esquemas de tee off em torneios:

STANDARD
Todos os jogadores começam do buraco 1, definindo um horário para cada jogador.  Quando são muitos jogadores, não há tempo suficiente no dia, mesmo que o intervalo entre os jogadores seja de apenas 5 minutos.  O que se costuma fazer para solucionar o problema é [1] ter dois pontos de tee off: um no primeiro round (buraco 1) e outro no segundo round (buraco 10) no primeiro dia do torneio, e [2] ter um processo eliminatório que acaba reduzindo o número de jogadores para menos da metade no(s) último(s) dia(s) do torneio.  Apenas em regiões como a Escócia e Irlanda, por exemplo, onde o sol nasce às 5h e se põe às 22h, pode-se ter 200 jogadores fazendo o tee off em um só buraco.  Neste caso, o último tee off poderia ser às 17h, pois, considerando que o percurso total do campo se faça em aproximadamente 4 horas, o último jogador ainda consegue terminar o jogo na luz do dia.

SCRAMBLE
Todos os jogadores começam ao mesmo tempo, de buracos diferentes.  É a forma preferida dos clubes, especialmente em torneios internos ou amadores, porque é uma forma de fazer com que todos terminem o jogo ao mesmo tempo para confraternizar e ter platéia na entrega dos troféus, medalhas ou prêmios.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Principais sistemas de escore:

POR TACADAS

Ao terminar cada buraco, o jogador marca o número de tacadas.  O vencedor é aquele que obtiver o menor Resultado Net.  No entanto, usa-se premiar também o menor Resultado Gross, porque, o fato de ter dado menos tacadas que todos, pode não significar a vitória, já que esta depende do fator de subtraação ou tolerância (handicap), mas significa ter jogado melhor.

Resultado Gross = soma das tacadas
Resultado Net = Gross – Handicap
Vencedor = resultado net mais baixo

Este sistema de escore é o mais tradicional e muito usado nas modalidades Stroke Play e Match Play.

POR PONTUAÇÃO
É o que chamamos de sistema Stableford.  Em vez de contar o total de tacadas, conta-se pontos baseados no número de tacadas em cada buraco, descontado o handicap.  Ao contrário dos métodos tradicionais de escore, em que o objetivo é obter o escore mais baixo, no sistema Stableford o objetivo é ter o escore mais alto.

O escore é feito da seguinte maneira:
Eagle = 4 pontos  |  Birdie = 3 pontos  |  Par = 2 pontos  |  Bogie = 1 ponto  |  Double Bogie e acima = 0 pontos (pode pegar a bola e seguir adiante).
No final do round somam-se os pontos.
Vencedor = pontuação mais alta

O sistema Stableford foi criado pelo Dr. Frank Barney Gorton Stableford, com a finalidade de evitar que o golfista desista do round só por causa de um ou dois buracos que foram mal.  Foi usado informalmente pela primeira vez em 1898, no Glamorganshire Golf Club, no país de Gales, e pela primeira vez em uma competição em 1932 no Wallasey Golf Club, na Inglaterra.

Outra vantagem do sistema Stableford é o aumento na velocidade do jogo, já que quando o jogador não tem mais chance de escorar algum ponto, não há por que terminar o buraco; o jogador pode simplesmente pegar a bola e seguir para o próximo buraco.

Este sistema é muito popular na Inglaterra, especialmente nos clubes, porque permite manter um escore competitivo apesar de ter jogado mal em um ou outro buraco.  Costuma ser mais usado nas modalidades Alternate Play e Better Ball Play, mas pode ser utilizado nas outras.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Principais modalidades de jogo:

STROKE PLAY

Considerada a modalidade mais “impiedosa” e realista do golfe, porque a vitória tem relação direta e absoluta com o número de tacadas, ou seja, vence quem realmente for o melhor (pelo menos nesse dia).
Todas as tacadas contam. Neste caso, o resultado net determina a posição do jogador no placar.  O vencedor é aquele que obtiver o menor resultado net no score de tacadas.  Por exemplo, entre 3 jogadores, onde o jogador 1 terminou o round em 80 tacadas com handicap 10, o jogador 2 terminou em 77 tacadas com handicap 15 e o jogador 3 terminou em 89 tacadas com handicap 22, os resultados net são respectivamente 70, 62 e 67.  Neste caso, o vencedor é o jogador 2, o segundo lugar é o jogador 3 apesar de ser o maior número de tacadas, e o terceiro lugar é o jogador 1.  Como se vê, até na modalidade mais “impiedosa” um jogador de handicap mais alto pode ter chance de melhor colocação no placar que um de handicap mais baixo.  Impiedosa, porém justa.  Afinal, não se pode esperar que um jogador menos experiente consiga terminar um buraco de 500 metros em 5 tacadas sempre.  Mas espera-se que um jogador de handicap 10 faça par em 8 buracos e use somente 10 tacadas a mais entre os outros 10 (não considerando o índex).  No exemplo dado, o jogador 1 é o handicap mais baixo (jogador mais avançado), mas usou 3 tacadas a mais que o jogador que se esperava usar 5 tacadas a mais que ele.  Isso prova que o jogador 1 jogou abaixo do seu próprio nível.  Aqui vemos claramente duas características importantes do golfe: [1] Mesmo em competições com outros jogadores, o golfe é essencialmente uma competição consigo mesmo.  [2]  Através do equilíbrio de condições, possibilita a competição justa entre jogadores de diferentes níveis de habilidade, mostrando que o menos experiente é geralmente menos habilidoso mas não é menos capaz.

MATCH PLAY

É considerada uma das modalidades mais divertidas do golfe, porque cada buraco é um novo desafio e porque dá aos jogadores de handicap mais alto a chance de vencer jogadores de handicap mais baixo.
Trata-se de um pário, buraco por buraco.  É uma competição de eliminatórias e implica em vários rounds, quantos forem necessários até ter um só vencedor.  Pode durar 1 semana ou até 2 meses ou mais, dependendo de quantos rounds e de sua distribuição no calendário.  Das pessoas que entram no pário, sorteia-se nomes para formar duplas para o primeiro round (18 buracos).  A competição não é entre as duplas, e sim entre os membros da dupla.  O primeiro nome sorteado ocupa a vaga 1 na tabela, o segundo ocupa a vaga 2 e assim sucessivamente, de modo que 1 joga contra 2, 3 joga contra 4, 5 joga contra 6, etc.  Se o número de pessoas que aderiu ao pário for ímpar, o jogador que ficar sem par estará automaticamente classificado para o segundo round.  Nesta modalidade, o jogo consiste em um membro da dupla vencer o buraco, não importa com quantos strokes.  Assim seguem, competindo buraco por buraco.  Pode acontecer de um dos jogadores da dupla cair numa situação difícil em um determinado buraco a ponto de não haver chance de ganhá-lo.  Quando a perda é óbvia e inevitável antes de terminar o buraco, o jogador sem chance não precisa terminá-lo.  Segue-se marcando quem venceu cada buraco.  No final do round, conta-se quem em cada dupla venceu quantos buracos.  Se, por exemplo, um jogador venceu 10 buracos e o seu parceiro venceu 8, o que venceu 10 é o vencedor do round.  O perdedor em cada dupla é eliminado do torneio.  Se, por exemplo, ao chegarem no buraco 12, um dos jogadores da dupla já tiver vencido 10 buracos, o outro jogador não tem mais chance de vencer o round, então o vencedor pode invocar a concessão e a dupla pode sair do campo.  No caso de empate no final do round, a dupla continua o jogo começando de novo a partir do buraco 1 até que haja um vencedor.  Portanto, para as duplas que terminam os 18 buracos com empate, o round pode compreender quantos buracos for necessário para chegar a uma decisão.  Se um dos jogadores da dupla não comparecer, por padrão o outro é considerado o vencedor e automaticamente classificado para o próximo round.  No segundo round, o vencedor da primeira dupla (números 1 e 2 na tabela) joga contra o vencedor da segunda dupla (números 3 e 4 na tabela), o vencedor da terceira dupla joga contra o vencedor da quarta dupla, e assim sucessivamente.  Conforme a disponibilidade de datas e para não extender demais o período do torneio, o clube pode limitar o número de inscrições no pário para limitar o número de rounds.

ALTERNATE PLAY

É talvez a segunda modalidade mais temida no golfe, porque os componentes da dupla jogam a mesma bola.
Joga-se sempre em duplas, uma só bola por dupla.  Conforme a etiqueta, a primeira tacada do jogo (tee off) é dada pelo jogador de handicap mais baixo na dupla (A).  O outro jogador (B) se dirige até a bola e dá a segunda tacada de onde ela caiu.  Depois é a vez do jogador A dar a tacada.  Na tacada seguinte é o jogador B, e assim sucessivamente até terminar o buraco.  O tee de cada buraco também é alternado.  Independente de quem finalizou o buraco anterior, quem começa o buraco seguinte é o jogador que não começou o anterior.  A dupla vencedora é aquela que obtiver o menor resultado net ou o maior resultado stableford.  O clube decide qual será o sistema de escore adotado. O problema desta modalidade é que, dependendo do sistema de escore, os jogadores melhores muitas vezes não querem estar em grupo com jogadores menos habilidosos.

BETTER BALL PLAY

É considerada a modalidade mais fácil e uma das mais divertidas, porque dá a todos os jogadores da dupla ou grupo de 4, a oportunidade de jogar sempre da melhor posição, tornando o jogo mais fluido e veloz. A competição é entre as duplas ou grupos.  Cada um joga sua bola.  Os dois (ou os quatro) decidem qual das bolas é a melhor para a próxima tacada, e assim todos jogam a partir desse mesmo ponto, cada um a sua bola.  O interessante nesta modalidade, é que num grupo de 4 geralmente há um jogador forte em drive, um que vai bem no fairway, outro que vai bem no putting e um que é perito em tirar a bola das piores enrascadas.  Assim a distância se encurta para todos.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Precisa de provas? Os números não mentem…

Num belo dia de sol, dois golfistas que costumam jogar em dias e horários diferentes, se encontram no clube por acaso, olham para aquele campo tão verde e percebem que todo mundo teve a mesma idéia. O campo está cheio! Precisam usar o mesmo tee time e resolvem jogar juntos. O jogador A é mais experiente, tem mais habilidade, e está acostumado a competir sempre, mesmo entre amigos. Mas o jogador B começou há pouco tempo, e está na dúvida se aceita, porque não se sente preparado. O jogador A é um cavalheiro (ou dama), como deve ser todo golfista. Ele(a) sabe que não deve desencorajar um iniciante desafiando-o de igual para igual. Se você estivesse no lugar dele(a), qual modalidade você sugeriria?

Veja os resultados abaixo e prepare-se para tomar a decisão adequada quando chegar sua vez:

buraco 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 handicap total net
Par 3 5 4 3 4 3 4 3 5 3 3 4 4 4 4 4 3 5 68
HCP stroke (index) 15 5 3 13 7 17 9 11 1 12 14 4 16 2 18 6 8 10
strokes do jogador A 3 6 8 4 6 4 5 6 5 3 4 4 3 5 4 4 3 5 10 82 72
tolerância 0 1 1 0 1 0 1 0 1 0 0 1 0 1 0 1 1 1 10
strokes a computar 3 5 7 4 5 4 4 6 4 3 4 3 3 4 4 3 2 4 72
diz-se que fez um Par Par / bogey bogey bogey Par / Birdie Par bogey Birdie Birdie Par Par Birdie Birdie Birdie
pontos ganhos 2 2 0 1 1 1 2 0 3 2 1 3 3 2 2 3 3 3 34
strokes do jogador B 4 6 6 5 8 5 7 4 9 2 4 5 4 8 4 4 3 7 22 95 73
tolerância 1 1 2 1 1 1 1 1 2 1 1 2 1 2 1 1 1 1 22
strokes a computar 3 5 4 4 7 4 6 3 7 1 3 3 3 6 3 3 2 6 73
diz-se que fez um Par Par Par bogey / bogey / Par / Eagle Par Birdie Birdie / Birdie Birdie Birdie bogey
pontos ganhos 2 2 2 1 0 1 0 2 0 4 2 3 3 0 3 3 3 1 32
match strokes (net) / / B / A / A B A B B / / A B / / A /
match stableford / / B / A / A B A B B / / A B / / A /

> Stroke = tacada

> Par: O número de tacadas necessário para um jogador proficiente terminar o buraco, segundo sua distância (extensão).

para determinar o par:
até 240 metros (263 jardas) = par 3
de 250 a 440 metros (274 a 481 jardas) = par 4
de 450 a 620 metros (492 a 678 jardas) = par 5

Na Europa a extensão é em metros. No Brasil, a maioria dos clubes mede pelo sistema americano, em jardas.
1 jarda = 0,914 metros | 1 metro = 1,0940919 jarda

O Par do campo é a soma dos pares dos buracos. Na tabela usada como exemplo, o Par do campo é 68, sendo que o Par tanto do front-nine (primeiros 9 buracos) quanto do back-nine (últimos 9 buracos), coincidentemente, é 34.

> HCP stroke: Ordem dos buracos segundo o grau de dificuldade, estabelecendo o índice (index) que determina o nível de tolerância em cada buraco. Na tabela acima, o buraco mais difícil é o 9.

> Tolerância: Quantas tacadas extra podem ser dadas em qual buraco, segundo o handicap do jogador.

para determinar a tolerância:
handicap > 18 = tolera 1 tacada extra em todos os buracos
handicap superior a 18 – número de buracos do campo = indexes onde se tolera 1 tacada a mais
exemplo:
no handicap 20, buracos de índice 1 e 2 (20-18) toleram 2 tacadas extra, e os demais índices são os buracos que toleram 1 tacada extra
no handicap 26, buracos de índice 1 a 8 (26-18) toleram 2 tacadas extra, e os demais índices são os buracos que toleram 1 tacada extra
no handicap 36, buracos de índice 1 a 18 (36-18) toleram 2 tacadas extra, ou seja, 2 tacadas de tolerância em todos os buracos
no handicap 10, como 10-18 é menor que zero, não há índice que tolere 2 tacadas extras, mas os índices 1 a 10 toleram 1 tacada extra
no handicap 15, como 10-15 é menor que zero, não há índice que tolere 2 tacadas extras, mas os índices 1 a 15 toleram 1 tacada extra

> tacadas realizadas – tolerância = tacadas a computar
> os pontos ganhos se baseiam nas tacadas a computar

RESULTADO
Resultado Gross = jogador A vence o jogador B por ter 13 tacadas a menos
Resultado Net = jogador A vence o jogador B por 1 tacada a menos
Resultado Stableford = jogador A vence o jogador B por 2 pontos a mais
Se fosse Match Play:
Resultado Net = empate
Resultado Stableford = empate

ALHOS NÃO SÃO BUGALHOS
O Resultado Gross mostra que o jogador A é (ou foi nessa ocasião) quem de fato joga melhor.
O Resultado Net deu ao jogador B condições de igualdade na competição, nivelando os jogadores e, com isso, mostrando que o jogador B foi quase tão bem quanto, dentro das suas limitações. Ou seja, o jogador B realizou um feito maior, se superou.
O Resultado Stableford deu a ambos os jogadores a esperança da vitória depois de um buraco mal jogado.
E os resultados do Match Play nivelaram o jogo entre jogadores completamente distantes em nível de habilidade.

Por isso é que, no golfe amador, especialmente dentro dos clubes (ou entre os clubes), competir é na verdade uma diversão.  Mas é, sobretudo, uma forma de estimular a superação de si mesmo.